Aumento das penas e prisões provisórias e prazos prescricionais

Em 25 anos, a população carcerária brasileira saltou de 90 mil para 600 mil pessoas. Apesar de termos a 4ª maior população prisional do mundo (atrás apenas de EUA, China e Rússia), já sabemos que prender mais não tem contribuído para aumentar a sensação de segurança ou prevenir o crime. Sabemos também que no Brasil a corda arrebenta do lado mais fraco: mais de 60% dos presos no país são negros e 75% têm apenas o ensino fundamental completo. Entenda as consequências das propostas que dizem aumentar o encarceramento sobre os políticos corruptos, mas afetarão de forma perversa toda a sociedade.